Fórum de Governadores do Nordeste se fortalece e mostra força política

Fórum de Governadores do Nordeste (Foto: Reprodução)

No próximo dia 26, está prevista mais uma edição do Fórum de Governadores do Brasil, que debate assuntos e propostas para o país. Os governadores do Nordeste estarão presentes para defender projetos e ideias. Eles chegam com uma unidade poucas vezes vistas anteriormente.

Isso significa que os governadores nordestinos vão defender pautas conjuntas, fortalecendo as bandeiras da região. Essa união foi possível graças ao Fórum de Governadores do Nordeste, que teve sua última edição na quinta-feira (14), em São Luís.

Os nove Estados se reuniram no Palácio dos Leões e traçaram reivindicações comuns. Além disso, assinaram o protocolo para criar o Consórcio Nordeste, um instrumento de cooperação entre os Estados da região.

Com o consórcio, poderão ser feitas compras conjuntas, para reduzir o preço dos produtos ou serviços. Quanto maior o número de itens adquiridos ou serviços contratados, maior é o poder de negociação dos Estados para reduzir custos.

Também estão previstas cooperações policiais, parcerias em investimentos e mais trocas de conhecimento.

“O Fórum é uma reunião dos governadores, que representam a opinião de seus Estados sobre cada pauta que tiver sido colocada. Já o Consórcio é uma ferramenta de gestão, que busca eficiência do gasto público. É uma ferramenta de desenvolvimento regional, de compartilhamento de estrutura, de equipamento, de pessoal, de redução de custos”, explicou Rui Costa, escolhido presidente da instituição neste primeiro ano.

Reivindicações 

O Fórum de Governadores também elaborou e divulgou uma carta se manifestando sobre temas de interesse regional e nacional.

A carta se opõe à desvinculação orçamentária, que, se aprovada, vai reduzir verbas da saúde e da educação; rejeita mudanças na reforma previdenciária para não prejudicar os mais pobres; reivindica preservação de instituições de desenvolvimento como o Banco do Nordeste; e defende o atual Estatuto do Desarmamento.

Segundo o governador Flávio Dino, “a agenda que apresentamos é de amplo diálogo com outros governadores de outras regiões. São pontos de vista que interessam à Nação e a outros Estados.  É uma agenda de diálogo também com as bancadas federais no Congresso, de modo suprapartidário, e com o governo federal”.

“Nosso desejo é que o Brasil avance, por isso temos propostas, uma visão sobre o desenvolvimento brasileiro. O que desejamos é que os Estados sejam ouvidos. Nossa esperança é que o governo federal leve em conta, num diálogo respeitoso, as posições que estamos apresentando, que vem no sentido de aprimorar as instituições brasileiras”, acrescentou.

Decisões

Durante o Fórum em São Luís, os demais governadores também foram unânimes em apontar a importância de levar a pauta do Nordeste para o debate nacional.

“É um passo importante para a consolidação dessas ações em conjunto. Precisamos discutir aquilo que é fundamental: o futuro da nossa região e do país diante de tanta instabilidade ocorrendo nos últimos anos. Temos muitas questões nacionais a serem enfrentadas, e o Nordeste quer contribuir”, disse Paulo Câmara, governador de Pernambuco.

“Aqui são tomadas as decisões daquilo que é importante para a região. Podemos definir o posicionamento que levaremos, na maioria das vezes, ao governo federal, nos posicionando em relação aos projetos do governo e aos interesses da região”, disse João Azevedo, governador da Paraíba.

De acordo com Camilo Santana, governador do Ceará, o Fórum vem “fortalecer as ações apara o Nordeste e unificar a região. Temos muitas discussões nacionais para serem enfrentadas, e o Nordeste quer contribuir, como sempre contribuiu para a melhoria do Brasil”.

“Nunca houve uma afinidade tão grande e um trabalho conjunto como tem sido feito hoje com os Estados do Nordeste”, afirmou o vice-governador de Alagoas, Luciano Barbosa.  “Sabemos que temos muita coisa em comum. Precisamos diminuir a desigualdade.”

Potencial

De acordo com o governador do Piauí, Wellington Dias, “vamos trabalhar a região como um potencial muito grande do Brasil. Temos um PIB maior que o de pelo menos 150 países. E com condição de seguir com crescimento no turismo, na produção na mineração, no gás, no petróleo, em muitas áreas. E vamos tratar outros temas importantes do Brasil”,

“O Fórum se constitui num espaço muito importante de articulação política com vistas a definir aquilo que é comum ao Nordeste. São políticas voltadas principalmente para o desenvolvimento, para a Justiça, a inclusão social. É um momento para que a gente possa se articular para que tenhamos cada vez mais uma participação organizada no Fórum de Governadores do Brasil, no dia 26″, afirmou a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra.

Para Belivaldo Chagas, governador de Sergipe, “é extremamente importante defender os interesses do Nordeste. Os governadores estão passando por dificuldades, como o Brasil todos, e vamos estar defendendo os interesses do Nordeste, para que a gente não fique esquecido”.

DEIXE UM COMENTÁRIO