Estudantes participam da Olimpíada Brasileira de Robótica

(Foto: divulgação)

Estudantes do Núcleo de Enriquecimento para Estudantes com Características de Altas Habilidades/Superdotação (NEECAHS), realizaram a prova da modalidade teórica da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), nesta sexta-feira (08). O teste visa medir o conhecimento sobre robótica, por meio de perguntas elaboradas pelos professores que compõem o Comitê de Prova da OBR, além de estimular jovens às carreiras científico-tecnológicas e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro.

A competição é dividida em duas modalidades independentes, e as escolas participantes podem escolher entrar na teórica, na prática ou em ambas. Cerca de 30 estudantes das U.E.Bs. Justo Jansen, Centro; Alberto Pinheiro, Centro; Min. Carlos Madeira, Anjo da Guarda; Bandeira Tribuzzi, Centro; Luís Viana, Alemanha; Miguel Lins, Alemanha; Rio Grande, Maracanã; Newton Neves, Vila Palmeira; Matos Carvalho, Monte Castelo; e Rubem Almeida, Coroadinho, participaram da primeira etapa da prova escrita.

De acordo com a professora que aplicou o teste para os estudantes do NEECAHS, Ione Costa, o resultado final sairá entre os dias 7 a 16 de julho. Os estudantes receberão medalhas e emissão de certificados.

Núcleo

O NEECAHS, localizado na Rua de Santana, no Centro, atende crianças de 7 a 14 anos. O espaço conta com sala de artes e jogos, auditório para teatro e exibição de filmes, biblioteca, sala de informática e salas para o mapeamento dos interesses dos estudantes. O objetivo do núcleo é, por meio de metodologias e estratégias pedagógicas, identificar e confirmar interesses e potencialidades dos estudantes com características de altas habilidades ou superdotação.

Olimpíada

A OBR ocorre desde 2006, atualmente é considerado o maior evento de robótica da América Latina e classifica equipes para a RoboCup, maior evento de robótica do mundo. No ano de 2017 foram mais de 140 mil participantes de todos os estados brasileiros com mais de 3000 equipes competindo na modalidade prática no país.

A OBR é apoiada pelo Ministério da Educação (MEC), Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e CNPq. Além de contar com o suporte da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) e RoboCup Federation, é coordenado de forma voluntária por um grupo composto por cientistas e doutores na área de robótica e tecnologia das maiores e melhores universidades públicas e particulares do Brasil.

A OBR destina-se a todos os estudantes de qualquer escola pública ou privada do ensino fundamental, médio ou técnico em todo o território nacional, e é uma iniciativa pública, gratuita e sem fins lucrativos.

DEIXE UM COMENTÁRIO