Caso Nenzim: suspeitos participam de audiência de instrução

(Foto: Reprodução/Arquivo)

Esta programada para a tarde desta terça-feira (13), no Fórum de Barra do Corda, a primeira audiência de instrução dos suspeitos pelo assassinato de Manoel Mariano de Sousa Filho, o Nenzim, ex-prefeito de Barra do Corda, Manoel Mariano de Sousa Filho, o Júnior de Nenzim, e o vaqueiro Luzivan Rodrigues da Conceição Nunes, o Luizão. O ex-prefeito de Barra do Corda foi morto a tiros no dia 6 de dezembro de 2017 quando se deslocava para a zona rural da cidade em companhia do filho, Júnior Nenzim.

Os dois suspeitos estão presos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas e devem chegar ainda hoje, no período da manhã, a Barra do Corda. Eles devem ir diretamente ao fórum onde ficarão sob a guarda de um forte aparato policial. A audiência será precedida pelo juiz Antônio Queiroga Filho, e terá participação do promotor de Justiça, Edilson Santana.

A assessoria de comunicação da Corregedoria de Justiça informou que primeiramente devem ser ouvidas pelo magistrado e promotor de justiça as testemunhas e, logo depois os dois suspeitos, que prestarão esclarecimentos sobre o caso. Existe possibilidade, ainda, de este semestre haver outras audiências.

Reprodução simulada

No último dia 2 foi realizada a reprodução simulada do assassinato do ex-prefeito de Barra do Corda, mas, os dois suspeitos desse crime não participaram em razão de uma decisão judicial expedida pelo juiz da 2ª Vara da Comarca de Barra do Corda, Iran Kurban Filho.

O delegado Renilton Ferreira, da regional de Barra do Corda, informou que policiais civis e peritos do Instituto de Criminalística de Imperatriz conduziram a reprodução simulada. Os dois suspeitos foram substituídos por outras pessoas em todas as etapas da simulação. A primeira foi feita na porta da residência de Júnior do Nenzim e a segunda na casa da vítima. A terceira etapa foi realizada no local onde o ex-prefeito foi alvejado, no loteamento Morada do Rio Corda, às margens da BR-226, na saída da cidade.

Para o delegado, os peritos do Icrim descartaram por completo as alegações apresentadas por Júnior do Nenzim e colocaram com muita certeza a participação do vaqueiro Luizão no crime. “A reprodução simulada serviu para retirar dúvidas sobre a investigação desse caso”, declarou o delegado.

Fonte: O Estado do MA

DEIXE UM COMENTÁRIO